Montes Claros: Victor Mendonça lança livro em comemoração ao Dia do Autismo

                                                                                                                           Fotos: Gabriella Abreu

A clínica SEER – Serviço Especializado em reabilitação, promoveu um grande evento no dia 31/03 em comemoração ao dia Mundial do autismo. O mesmo teve como tema: “Autismo para entender é preciso conhecer!” e contou com a participação de alguns profissionais que se dedicam ao autismo.

Participaram do evento a Dra. Carla Patrícia Parrela Neuropediatra de Montes Claros, Júnia Caldeira Guimarães, educadora física, especialista em psicomotricidade, também de Montes Claros, Joana cordeiro Melo Franco, Terapeuta Ocupacional de Belo Horizonte; Selma Sueli jornalista e mãe do principal palestrante da noite, Victor Mendonça, ambos de Belo Horizonte.

 

Victor Mendonça é autista, estudante de jornalismo e autor do livro Outro Olhar: Reflexões de um autista. Conforme definido pela sinopse o livro imprime a sinceridade, a sensibilidade e a constante preocupação com dicas preciosas sobre a experiência diária. Victor Mendonça refaz o próprio caminho, que matiza com a crítica, para afirmar que os obstáculos podem ser superados e o que o amor familiar e o afeto social são remédios para um mundo tão especial: o de todos nós. Durante a palestra ele fez questão de frisar o quanto é importante que procuremos compreender as diferentes maneiras do pensamento de um autista. Declarou que, em sua opinião, se tivesse que definir o autismo em poucas palavras diria que é “apenas um jeito diferente de ver o mundo”, diz.

Um dos momentos mais marcantes da sua fala foi quando ao abordar acerca dos direitos do autista e sobre as leis que os garantem ele afirmou: “A lei abre portas, o afeto permite nela entrar, mas é o amor que faz permanecer”, ressalta.

 

Monique Fernandes, fonoaudióloga, especialista em autismo e uma das organizadoras destacou a importância da troca de experiências. “O nosso objetivo é difundir informações a respeito do autismo, levar conhecimento as famílias, escolas e comunidade. O autismo é crescente e a falta de informação e conhecimento faz com que o diagnóstico seja tardio”, disse.

 

“Os participantes puderam conhecer um pouco sobre o autismo, sobre o olhar de quem convive com o “transtorno”. Os autistas esperam ser compreendidos e respeitados na medida certa, nem mais nem menos. Como qualquer pessoa com ou sem autismo necessita de afeto e amor”, finaliza Monique.

Please reload

© 2020 Aconteceonline.net - Todos os direitos reservados - Brasília de Minas-MG